segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

ENTREVISTA COM FELIPE MASSA APÓS ANÚNCIO DO RETORNO A FÓRMULA 1 EM 2017

Imagem: site da Williams

Felipe Massa confirmou o que já vinha sendo alimentado de forma "oficiosa" sobre o retorno do piloto brasileiro à F-1, após anunciar sua aposentadoria no final da temporada 2016. Tudo mudou após o anúncio da precoce aposentadoria do atual Campeão da categoria, Nico Rosberg. Daí em diante a dança das cadeiras ficou bem intensa. E tomou mais força quando vinha sendo divulgado, sempre de forma não oficial, a ida de Bottas (que até então era confirmada na Williams) para o lugar  de Rosberg na Mercedes. E que já foi confirmado também.

Retirado da página oficial do piloto no
Facebook


Foram dois meses intensos das possíveis cabeças que poderiam ocupar a vaga deixada por Bottas, Alguns pilotos foram lembrados: Button, o próprio Massa, Nars, Pascal, Ocon. Mas que bom que o Felipe Massa está de volta e eu também posso dizer: "Seja bem vindo!!!"

Aqui uma entrevista que encontrei no site da Williams com o Felipe Massa, logo após seu anúncio do retorno. A entrevista foi traduzida de forma automática pelo servidor, confira:


P: Você disse no final da temporada passada que achou que era o momento certo para se aposentar da Fórmula 1, o que mudou?

 R: Minha intenção sempre foi correr em algum lugar, como eu ainda tenho a paixão por competir e competir. Eu também tenho um forte amor por Williams como eu tenho desfrutado os últimos três anos com a equipe e, portanto, voltando para ajudar a dar estabilidade e experiência para impulsionar as coisas em 2017 foi algo que sentiu direito de fazer.

 Q: Você poderia ter olhado outras oportunidades para ficar na Fórmula 1, se você ainda estava aberto para a ideia?

 R: Eu tenho uma paixão por corridas, por competir e por lutar na pista. Meu retorno não é sobre ver a Fórmula 1 como a melhor opção, mas é sobre ver o papel na Williams como a melhor opção. Eu não teria voltado para qualquer outra equipe.

 Q: Você deixou o esporte em tão alto no final da temporada passada, existe o perigo de que você não vai receber a mesma recepção agora que você voltou?

 R: As cenas que vi no Brasil e em Abu Dhabi no ano passado são aquelas que nunca esquecerei. Estou tão grato por tudo o que aconteceu no ano passado e todas as mensagens gentis. Aconteça o que acontecer nesta temporada, vou sempre deixar o esporte com a cabeça erguida.

 Q: Você ainda tem o desejo de correr na Fórmula 1?

 R: Quando me juntei à Williams em 2014, encontrei uma equipe - e uma família - de quem eu amei fazer parte. Eu certamente não perdi o desejo de correr e lutar na pista. O que quer que eu teria girado minha mão a este ano, eu estaria pondo o esforço 100% em fazer o mais melhor trabalho que eu posso, e se eu não tive essa paixão, eu não concordaria retornar.

 Q: Você tem sido ligado a uma série de séries de corridas diferentes durante o inverno, o quão longe tinha conversas ido?

 R: Desde que anunciei minha aposentadoria no ano passado, eu estava avaliando minhas opções e havia uma série de oportunidades apresentadas a mim que eu poderia ter perseguido. No entanto, eu fiz a minha decisão e, portanto, este é agora o meu foco.

 P: Qual é a sensação de estar substituindo seu antigo companheiro Valtteri?

 R: Ir para os Campeões do Mundo atual é uma grande oportunidade para Valtteri. Ele é um corredor talentoso e foi ótimo trabalhar ao lado dele por três anos. Desejo-lhe todo o melhor para o próximo capítulo de sua carreira. 

 P: Podemos assumir que o dinheiro foi um fator na sua decisão de voltar para a Fórmula 1?

 R: Não vou discutir números nem detalhes sobre as negociações. Tudo o que vou dizer é que esta foi a decisão certa e estou feliz em continuar como parte da equipe.

 P: O que ajudou a tomar a decisão e quais os fatores que você tomou em consideração?

 R: Acho que o que aconteceu no final da temporada passada com a aposentadoria inesperada de Nico provocou uma virada única de eventos. Valtteri foi oferecido uma oportunidade fantástica e, como resultado, uma oportunidade surgiu para mim. Quando a mídia começou a relatar que eu poderia voltar, fiquei tocado pela resposta de tantos fãs que queriam me ver de volta no esporte. Isso foi certamente um fator na decisão, então eu gostaria de agradecer aos fãs por seu apoio. Mas, no final do dia, quando recebi a chamada foi uma oferta que eu não poderia recusar. Era Williams!

 P: Você pode confirmar que este é um contrato de um ano?

 R: Neste momento, este é um acordo para 2017 apenas e eu não pensei além.

 Q: Quais são seus pensamentos sobre o seu novo companheiro de equipe Lance Stroll?

 R: Estou ansioso para trabalhar com Lance, conhecendo-o há muito tempo. Ele provou nos campeonatos em que competiu até agora que merece essa oportunidade, e é ótimo para receber novos talentos na Fórmula 1. Lance pode ser jovem, mas Williams tem uma história de trazer novos pilotos para o esporte. Ele sabe que há uma curva de aprendizado íngreme à frente, mas o desporto motorizado é um esporte de equipe e eu espero apoiá-lo de qualquer maneira que puder.

 P: Quais são seus pensamentos e esperanças para 2017?

 R: Vai ser um ano emocionante com todas as mudanças na regulamentação e vou passar muito tempo com a equipe que está se preparando para a temporada. É muito cedo para fazer previsões, já que nem mesmo giramos uma roda. Mas posso dizer que estou muito ansioso para conduzir o FW40 quando o teste começa no próximo mês. 

 Q: Williams está comemorando 40 anos na Fórmula 1 este ano, você está ansioso para ser parte disso?

 R: Sim, muito. Williams tem uma história tão grande no esporte e alcançar este marco é uma conquista fantástica. Eu sei que a equipe tem mais planos para comemorar este ano e estou ansioso para fazer parte deles.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Deixe aqui seu comentário. Obrigado!

TV MOTOR

TV MOTOR

HELIO CASTRONEVES 20 ANOS DE F-INDY

PODERÁ GOSTAR TAMBÉM

IMAGEM/VÍDEO DA SEMANA - TUKA ROCHA E RODRIGO DANTAS SE AGRIDEM DURANTE AS 500 MILHAS GRANJA VIANA

É com imenso repudio e tristeza que exibimos a cena lamentável de pura violência na prova tradicional de kart que ocorre todo final de ano onde o grande barato da coisa é reunir pilotos de varias categorias em um evento de longa duração. As 500 Milhas da Granja Viana,que ocorreu no último sábado (16) teve a vitória do time do Barrichello, mas os brigões Tuka Rocha (equipe Sambaíba) e Douglas Dantas ( equipe MDG Matrix) foram o centro das atenções.


ENTENDA COMO TUDO ACONTECEU


Antes, no encerramento da 11ª hora, Rodrigo Soares, da Sambaíba, acertou o kart de Felipe Massa, então líder da prova. A partir de então, os pilotos dos dois times passaram a se estranhar na pista, culminando com o incidente entre Dantas e Rocha, quando restavam 19 voltas para o final da corrida. A direção de prova desclassificou os dois times envolvidos na confusão das 500 Milhas de Kart Granja Viana.

POLÊMICA DA SEMANA - MARCHIONNE SE QUEIXA DE APRESENTAÇÃO DE PILOTOS NOS EUA

A vaga de Felipe Massa na Williams segue sem dono e a situação na Williams está completamente indefinida por questões que vão bem além das pistas. A mídia russa chegou a veicular que o anúncio de seu piloto, Sergey Sirotkin, seria feito na última sexta-feira. Mas a única informação dada pelo time inglês foi de que uma decisão só seria anunciada em janeiro.


Os problemas dos apoiadores de Sirotkin vêm de sanções adotadas após a anexação do território da Crimeia pela Rússia, no início de 2014. O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos aplicou uma série de punições que atingiram os dois principais acionistas do banco SMP, Arkady e Boris Rotenberg. Isso ocorreu devido às relações próximas dos banqueiros com Vladimir Putin além de acusações de lavagem de dinheiro, por parte das autoridades norte-americanas, relacionadas às negociações durante a construção do parque olímpico de Sochi, onde é realizado o GP da Rússia de F-1.


Fonte de pesquisa e reprodução: esporte.uol.com.br

VÍDEOS INTERESSANTES, EDIÇÃO Nº 25 - FABRICAÇÃO DE UM F-1

GP COMPLETO

GP COMPLETO

GP INGLATERRA 2005

CINEMA NO BLOG

CINEMA NO BLOG

EM CARTAZ

EM CARTAZ

O CORREDOR FANTASMA

CARINHA DO BLOG (TRISTE)

CARINHA DO BLOG (TRISTE)

O número 13 parece não dá sorte mesmo, pois bem, foi o que aconteceu com o Oreca nº 13 da Rebellion Racing, pilotado por Nelsinho Piquet, Mathias Beche e David Heinemeier-Hansson, eles tinham conquistado o segundo lugar da classe LMP2 e o terceiro posto geral.


Mas a equipe teve que fazer um reparo no motor de arranque e por isso abriram um buraco no carro ao qual danificou uma das homologações, ferindo assim o regulamento. E daí a punição. lamentável!!!