sábado, 13 de fevereiro de 2010

O RETORNO DA EQUIPE LOTUS

Olá seguidores do Apaixonado por F-1 - O seu blog da velocidade!

A lendária equipe Lotus que estreou na Fórmula 1 na década de 50 e consagrou nomes importantes na categoria, como: Graham Hill, Jim Clark, Ayrton Senna, Emerson Fittipaldi, Nelson Piquet, Ronnie Peterson, Nigel Mansell, entre outras feras.


Colin Chapman, engenheiro aeronáutico foi o idealizador desta equipe que estreou nas pistas da fórmula 1, em 1958, no GP de Mônaco, com a dupla de pilotos com Cliff Allison e Graham Hill (pai do ex-piloto de f-1, Damon Hill). A primeira vitória do time inglês veio rapidamente em 1960, com Stirling Moss, a bordo do revolucionário modelo T18, no GP de Mônaco.

O primeiro título de piloto veio pelas mãos habilidosas do inglês Jim Clark, em 1963 e o último veio pelo Mario Andretti (pai de Michael Andretti), em 1978. A última vitória da Lotus ocorreu com o brasileiro Ayrton Senna em 1987, no Gp dos Estados Unidos. Após a morte do fundador da equipe, Colin Chapman, em dezembro de 1982, aos 54 anos, vítima de enfarte, a escuderia começou a declinar, caindo em dívidas cada vez maiores e tendo que vender seus bens para saldar as ditas dívidas.

Uma parte negra da Lotus foi o histórico de mortes de pilotos que estavam defendendo suas cores, muito se dizia, que os carros de Chapman, eram muito frágeis e que suas peças não eram de boa qualidade. A sua busca por resultados e inovações, como por exemplo, o carro turbina em 1971, eram argumentos muito usados pela mídia na época para tentar explicar tantos fúnerais de pilotos.


Jim Clark de Fórmula 2 (68), Mike Spence (68), Jochen Rindt (70), Ronnie Peterson (78). Muitos outros sofreram graves acidentes que afetaram suas vidas para sempre no automobilismo, em 1969, Graham Hill, fraturou as duas pernas no GP dos Estados Unidos e J. Rindt fraturou o crânio ao perder o aerofólio traseiro também em 69, no GP da Espanha.

Em janeiro de 2005 a Lotus encerra suas atividades e deixa muitos admiradores da velocidade carentes e saudosos pela história da equipe que deu muita dor de cabeça a Ferrari, BRM, Cooper, Brabham. O último piloto a conduzir seu carro foi o Mika Hakkinen em 1994. No Brasil ela ficou conhecida pelas cores do preto e dourado que levou Emerson ao título em 1972 e ao Senna pela primeira vitória do brasileiro em 1985, no GP de Portugual.

Em 2010 seu carro será da mesma cor do Lotus 49 de 1968, preto e amarelo - e que é a minha cor predileta em automóveis de competição -, o modelo será o T127 e terá como dupla de pilotos o experiente Jarno Trulli, ex-Toyota em 2009 e Heikki Kovalainen, ex-McLaren em 2009.


O chefe da equipe, Tony Fernandes fala da emoção em apresentar o novíssimo carro "palavras não podem descrever o que eu sinto hoje. É um trabalho incrível ter um uma licença de F-1, ter cinco pessoas em Hingham e chegar a este dia com este carro. Eu fiquei animado quando Clive (Chapman) disse que este era apenas o começo da volta da Lotus para seus dias iniciais".




E também disse estar tranquilo quanto as pressões em ter uma Lotus de volta à categoria
" Nós sabemos que temos uma grande pressão nos nossos ombros, ficar sobre os ombros de gigantes – Clark, Moss, Hill e Mansell. Nós sabemos que temos uma incrível jornada pela frente. Estamos honrados e felizes por fazer parte da história. Vamos fazer nosso melhor para fazer a Lótus voltar para seus dias de glória".







Lotus é o nome de uma flor exótica e representa nobreza e orientação. E o porque de Chapman batizar a equipe com este nome? Diziam os mais chegados do inglês, que ele chamava Hazel (sua esposa), assim na intimidade.







Bom Carnaval e já sabem: "se for beber vá de táxi".








4 comentários:

  1. Carro muito bonito, comenta-se que é o que mais se destaca até agora. Gostei do design clássico e da ausência do apêndice aerodinâmico, comum nas outras equipes.
    Só não gostei das rodas amarelas.
    O carro me lembra a Jaguar de uns anos atrás.

    Faez.

    ResponderExcluir
  2. Buen blog; me lo apunto para seguirlo.
    http://pulguitaatodogas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá Faez!
    O carro é uma maravilha de beleza e o que está me impressionando nesses novos carros, são o desing.Cada equipe está buscando um desenho próprio e isso é observado,principalmente, nos desenhos das asas dianteiras. Esse carro da Lotus mesmo impressiona pela limpeza nos detalhes aerodinâmicos.
    Valeu meu amigo pela participação e estou esperando você no Champioship F1.
    ATENCIOSAMENTE
    CLAUDIO HELIANO

    ResponderExcluir
  4. Olá Jon Valle!
    Fico muito agradecido por seguir este blog e espero que você continue a comentar nossas matérias.
    Muito obrigado!
    ATENCIOSAMENTE
    CLAUDIO HELIANO

    ResponderExcluir

Participe! Deixe aqui seu comentário. Obrigado!

TV MOTOR

TV MOTOR

ULTIMAS VOLTAS GP BRASIL 2006

PODERÁ GOSTAR TAMBÉM

IMAGEM DA SEMANA - HAMILTON CELEBRA TETRACAMPEONATO: "NÃO PARECE REAL"

Lewis Hamilton não precisava de um grande resultado para conquistar o quarto título mundial de Fórmula 1 de sua carreira. Porém, o inglês, que precisava apenas de um quinto lugar para definir o título, viu o Grande Prêmio do México, disputado neste domingo (29) virar um drama após ter um pneu furado e cair para a última posição. Sebastian Vettel, porém, não conseguiu brigar pela vitória, e o piloto da Mercedes conquistou o título com o nono lugar.


Fonte de pesquisa e reprodução: Racingonline


POLÊMICA DA SEMANA - COM CRESCENTE DE RED BULL E MCLAREN, FERRARI CAMINHA PARA "CRISE"

A Ferrari está “caminhando para uma crise” que tradicionalmente é “difícil de sair”.


Essa é a visão do ex-engenheiro da Ferrari, Toni Cuquerella, ao avaliar o recente fracasso de Sebastian Vettel em desafiar o título de 2017.


“A Ferrari foi muito mais competitiva do que nos anos anteriores”, escreveu o ‘El Paris’. “A Ferrari teve um carro melhor do que Mercedes em cinco dos 18 Grandes Prêmios”, acrescentou Cuquerella.


“Foi um bom ano e eles deveriam estar felizes. Mas, como sempre, na Ferrari, duas corridas com resultados ruins significam o início de uma crise.


“E a Mercedes soube se aproveitar muito bem disso”, disse ele.


Cuquerella acredita que o desafio da Ferrari agora é “escapar da crise” por trás disso e sair com um pacote forte desde o começo de 2018.


No entanto, “a Ferrari luta para sair de suas crises”, disse o espanhol. “Enquanto isso, outros como Red Bull e McLaren podem chegar a esse nível no próximo ano.


“Este ano, a equipe mais rápida e o piloto mais rápido ganharam, mas a tendência indica que esse domínio não necessariamente continuará.


“O próximo título pode ser conquistado por uma equipe que não obrigatoriamente tenha o melhor carro”, finalizou.


Fonte de pesquisa e reprodução: f1mania.com.br

VÍDEOS INTERESSANTES, EDIÇÃO Nº 25 - FABRICAÇÃO DE UM F-1

GP COMPLETO

GP COMPLETO

GP MALÁSIA 2004

O nosso quadro GP Completo, edição nº 7 traz o GP da Malásia de 2004 (segunda prova da temporada), já que estamos em um final de semana de corrida de F-1 (GP Malásia) e não por acaso, que escolhi a Malásia para esta edição.Um grid cheio com bastante carros e pilotos, interessante dizer que em 2004 tínhamos três pilotos brasileiros : Barrichello (Ferrari), Cristiano da Matta (Toyota), Felipe Massa (Sauber).

CINEMA NO BLOG

CINEMA NO BLOG

EM CARTAZ

EM CARTAZ

ECURRALADO

CARINHA DO BLOG (TRISTE)

CARINHA DO BLOG (TRISTE)

O número 13 parece não dá sorte mesmo, pois bem, foi o que aconteceu com o Oreca nº 13 da Rebellion Racing, pilotado por Nelsinho Piquet, Mathias Beche e David Heinemeier-Hansson, eles tinham conquistado o segundo lugar da classe LMP2 e o terceiro posto geral.


Mas a equipe teve que fazer um reparo no motor de arranque e por isso abriram um buraco no carro ao qual danificou uma das homologações, ferindo assim o regulamento. E daí a punição. lamentável!!!

DEDICATÓRIAS

DEDICATÓRIAS
Poster autografado (por Nelson Piquet) para o blogueiro Claudio Heliano

'

'
Poster autografado (por Nigel Mansell) par ao blogueiro Claudio Heliano

'

'
Autografada por Luiz Razia